x

Precisamos da sua ajuda!
Faça uma doação agora

Notícias

Trabalho voluntário: doação de tempo pode dar novo rumo a muitas histórias

Trabalho voluntário: doação de tempo pode dar novo rumo a muitas histórias

Em Santos, diversas instituições precisam de colaboradores; saiba como ajudar

CAROLINA IGLESIAS
08/07/2017 – 08:00 – Atualizado em 08/07/2017 – 08:09

Laureci Figueira, de 77 anos, dedica parte de seu tempo à Casa do Sol, em Santos (Foto: Nirley Sena/AT)

Fazer a diferença, sem cobrar nada em troca. Para muitos, esse pode ser o significado mais simples do que representa ser um voluntário. Mas, para três santistas, representa algo muito maior. Pode dar um novo rumo a muitas histórias e impactar mais a vida de quem está doando seu tempo ao próximo.

Há quase 20 anos a aposentada Laureci Figueira, 77, tem feito a diferença na vida de idosos acolhidos na Casa do Sol, em Santos. Espelhada na mãe, já falecida, ela conta que sempre pensou em fazer o bem ao próximo e, após se aposentar, resolveu ocupar a cabeça doando amor àqueles que mais precisavam.

“A minha mãe nunca atuou como voluntária, mas a via sempre ajudando o próximo. Aquilo me inspirou muito e eu sempre pensava, quando nova, que um dia realizaria esse sonho. Não queria ficar parada, queria fazer a diferença”.

Motivada pelo sonho, logo após a aposentadoria, passou a dedicar parte de seu tempo a diferentes instituições da região. “No início, eu frequentava muitos lugares. Estava sempre ajudando de alguma forma, levando almoço, ficando com crianças em um abrigo. Mas aqui, na Casa do Sol, descobri minha segunda família”.

Ela entrou na unidade há 17 anos, quando, ao lado de uma amiga, resolveu fazer uma visita e oferecer seu trabalho voluntário à instituição. “Como eu era cabeleireira, me ofereci a cortar o cabelo daqueles que precisavam. Fiquei um tempão fazendo isso e quando vi já estava quase morando aqui. Você escolhe ser voluntário e, no fim, recebe tanto quanto quem é ajudado. É muito gratificante”.

Nelly Valente Cavallucci é a fundadora do grupo de voluntários Rosinhas (Foto: Divulgação)

E é isso que motiva o trabalho da também aposentada Nelly Valente Cavallucci, de 86 anos, conhecida como Rosinha. Ela é a fundadora do grupo de voluntários homônimo, que atua dentro da Santa Casa de Santos.

“Eu fui voluntária no presídio feminino em São Paulo e no Hospital AC Camargo. Um dia, convidada pelo então provedor da Santa Casa, Alberto Levy, visitei o Setor de Oncologia, que enfrentava dificuldades. Foi um trabalho muito duro de lá até aqui. Contávamos com poucas voluntárias e nenhum recurso, mas tínhamos boa vontade e aos poucos conseguimos mudar esse cenário”.

Hoje, a associação, que completará 26 anos, conta com 98 voluntários, tendo também 10 homens conhecidos como “cavaleiros da rosa”, que trabalham no Setor de Oncologia do hospital atendendo a pacientes portadores de câncer.

Na unidade, além de ajudar os doentes, elas também distribuem diariamente lanches completos para todos os doentes e acompanhantes, além de remédios, roupas e alimentos. ”É um trabalho muito gratificante não só para mim. Quem faz uma visita e conhece um pouco mais da nossa história, do projeto, sempre se entusiasma”.

Beth Rovai, conhecida como tia Beth, está há mais de 40 anos na Casa Vó Benedita (Foto: Irandy Ribas/AT)

Anjo da guarda

Há 40 anos, Elizabeth Rovai de França, ou simplesmente Tia Beth, é um dos anjos da guarda das centenas de crianças que já passaram pela Casa Vó Benedita, também em Santos. Hoje atuando como diretora-presidente, Beth iniciou seu trabalho no lar pouco antes do falecimento da fundadora da instituição, Benedita de Oliveira.

“Eu conheci a vó Benedita depois de uma festa de Natal. Eu trabalhava na antiga Cosipa e promovemos uma festa na casa. Ainda era muito jovem e em pouco tempo já estava integrada como voluntária”, comenta Beth, que também motivou com seu trabalho a participação do marido e dos filhos. “Acredito que o melhor da educação é sempre poder dar um bom exemplo. Esse, certamente, é o melhor que eu poderia dar aos meus filhos”.

A casa, constituída em 1976, tinha como finalidade socorrer a infância em estado de abandono, orfandade, maus-tratos e situações de risco. Hoje, as crianças que chegam à unidade são encaminhadas pelo juiz da Infância e da Juventude. Uma vez acolhidas, recebem alimentação, assistência à saúde, higiene, lazer, educação, atendimento psicossocial e, principalmente, muito afeto.

Instituições

Na Baixada Santista, há uma infinidade de instituições que precisam de voluntários. De moradores de rua a crianças doentes, existem várias formas de ser solidário com quem precisa. É claro que, para aproveitar ao máximo essa experiência, você precisa, além de comprometimento e dedicação, buscar uma atividade que desperte seu interesse. Por isso, A Tribuna On-line listou alguns lugares em Santos que precisam de voluntários. Há atividades em diversos setores. Basta arregaçar as mangas e começar!

Casa Vó Benedita

Endereço: Rua Carlos Caldeira 675 – Jardim Santa Maria

Telefone: 3299-515

O que precisa: Para ser um voluntário, deve-se agendar uma visita na casa. O atendimento ocorre de segunda à sexta-feira, das 9h às 17 horas. É preciso apresentar cópia do RG, CPF e comprovante de residência para o cadastro. O voluntário pode auxiliar tanto nas atividades da casa quanto em eventos sociais promovidos pela instituição. Menores de idade podem atuar como voluntários, desde que sejam autorizados pelos pais.

Lar das Moças Cegas

Endereço: Avenida Ana Costa, 198

Telefone: 3226-2760

O que precisa: Para ser um voluntário é preciso agendar uma visita monitorada na casa. Elas ocorrem às terças, quartas e quintas-feiras, sempre das 10h às 15 horas. Interessados devem apresentar RG e CPF no ato do cadastro. Atualmente, há 60 voluntários atuando tanto nas dependências do lar, quanto em eventos organizados pela instituição.

Residencial Casa do Sol

Endereço: Avenida Santista, s/nº – Morro da Nova Cintra

Telefone: 3258-5100

O que precisa: Atualmente, além dos funcionários fixos, há 30 voluntários atuando na casa. Eles participam de eventos beneficentes promovidos pelo abrigo de idosos, além de atividades na própria casa, como contação de história, costura, auxílio em passeios, entre outras. Para se cadastrar, é necessário agendar visita. No local, os candidatos também são entrevistados por uma psicóloga que irá identificar em quais atividades poderão atuar. É importante apresentar RG e foto no ato do cadastro.

Rosinhas (Santa Casa de Santos)

Endereço: Rua Doutor Cláudio Luís da Costa, 50 – Jabaquara

Telefone: 3202-0600

O que precisa: As seleções ocorrem em datas pré-agendadas. A próxima ocorrerá no dia 5 de setembro, às 14 horas, quando haverá uma palestra. O grupo aceita voluntários menores de idade, desde que estejam autorizados pelos pais. Quem tiver interesse também poderá agendar uma visita ao hospital, sempre a partir das 8h30. Os voluntários auxiliam as rosinhas em atividades promovidas na Santa Casa e também em eventos beneficentes.

Assistência à Infância Gota de Leite

Endereço: Avenida Conselheiro Nébias, 388, Encruzilhada

Telefone: 3224-1610

O que precisa: As seleções ocorrem mediante visitas à instituição. Voluntários podem auxiliar em serviços como manutenção, corte e costura, além de participar do bazar realizado pela entidade e de eventos sociais promovidos ao longo do ano. Atualmente, há cerca de 100 voluntários cadastrados para atuar em eventos como quermesse, festa da tainha e feijoada.

Lar Espírita Mensageiros da Luz

Endereço: Rua Doutor Cunha Moreira, 47, Encruzilhada

Telefone: 3223-1629

O que precisa: É necessário agendar previamente uma visita à unidade. Todas acontecem aos domingos, das 15h às 17 horas, quando os voluntários conhecem as atividades promovidas pela instituição. Depois, os interessados podem agendar uma entrevista com a assistente social, que auxiliará o voluntário na escolha da melhor atividade, de acordo com suas habilidades. Hoje, o lar conta com 15 voluntários fixos, mas necessita de suporte para os eventos que são realizados fora da casa.

Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais de Santos (Apae)

Endereço: Rua Barão de Paranapiacaba, 91 e 236

Telefone: 3233-5422

O que precisa: Os interessados não atuam em atividades pedagógicas com as crianças e adultos atendidos na casa. Porém, podem auxiliar em eventos promovidos pela instituição, como o bazar realizado de segunda a sexta-feira, sempre das 8h às 17h. Jantares, desfiles e festas organizadas pela casa também contam com o apoio destes colaboradores. Para se inscrever é necessário ter mais de 16 anos.

Casa da Criança

Endereço: Avenida Conselheiro Rodrigues Alves, 120

Telefone: 3222-4500

O que precisa: É necessário que o voluntário agende uma visita e apresente um projeto com as atividades que têm interesse em executar dentro do espaço. Também é possível se cadastrar para finais de semana e atuar em eventos organizados pela casa. Menores são aceitos se estiverem autorizados pelos pais.

SOS Só Riso

E-mail: contato@sossoriso.com

O que precisa: As seleções ocorrem anualmente, sempre em janeiro. A ONG, que tem 11 anos, atua nos hospitais Infantil Gonzaga, Santa Casa, Guilherme Álvaro (HGA) e Ana Costa. Todos os inscritos na seleção passam por uma triagem que dura cerca de seis meses. Além de entrevistas e dinâmicas em grupos, os candidatos participam de oficinas e estágios nas unidades hospitalares atendidas. Este ano, além dos 33 voluntários já em atuação, outros 10 serão integrados à equipe. Os doutores são profissionais de diversas áreas, que têm como principal objetivo minimizar a dor física e psicológica dos pacientes com a diversão.

Deixe um comentário